Como organizar as contas e sair das dívidas?

Como organizar as contas e sair das dívidas? Uma pergunta recorrente para muitos brasileiros.

Contrair dívidas é mais simples do que sair delas, mas lendo este artigo você aprenderá dicas valiosas de como zerar suas dívidas e finalmente ter seu nome limpo e manter seu cadastro positivo no Serasa.

Para isso, o passo mais decisivo é listar todos os seus credores e se preparar para em breve entrar em contato com cada um deles, na intenção de renegociar o pagamento de suas dívidas para liquidá-las de uma vez por todas.

Mas para garantir o sucesso como resultado ao final deste processo, seu primeiro passo deve ser aliar a quitação de suas dívidas ao seu planejamento orçamentário mensal.

Desta forma, você poderá controlar todos os seus gastos e todas as suas receitas que acontecerão paralelamente à reorganização de suas finanças pessoais.

 

Os Efeitos da ausência de um planejamento orçamentário pessoal

A desorganização de suas contas justifica o seu descontrole orçamentário: imprevistos são passíveis de acontecer, mas deter o controle de seu orçamento através da organização de suas contas mitigam os efeitos dos imprevistos.

É indispensável o uso de programas e ferramentas que possam auxiliar na manutenção das contas para mantê-las organizadas. Desta maneira você pode evitar que os imprevistos surjam de forma mais recorrente.

Outra forma de diminuir os efeitos dos imprevistos – que também podem levá-lo a contrair novas dívidas – é manter uma reserva de emergência. Com ela, é possível honrar o pagamento de novos débitos temporários ou arcar com imprevistos, de modo que isso não afete sua saúde financeira.

A reserva de emergência é o resultado da poupança do saldo final positivo disponível em sua carteira e/ou conta corrente no fim de cada mês.

O tempo que leva para a formação de uma reserva de emergência pode variar de pessoa para pessoa, mas o ideal é que o montante de sua reserva de emergência corresponda a seis meses consecutivos de consumo.

É também importante que este valor esteja aplicado em uma forma de investimento de alta liquidez, com possibilidade de rápido resgate e que se comprometa a retornar ao menos a inflação como rentabilidade.

Ferramentas e medidas infalíveis para o controle das contas

Se você organizar suas finanças pessoais ao nível de controlar as saídas de seu fluxo de caixa (quanto sai e quando sai), ficará mais simples destinar a sua renda mensal cada vez que receber uma receita.

Quando você presta algum serviço, recebe o seu salário fixo e/ou vende algum produto ou mercadoria, você terá uma receita que configurará uma entrada em seu fluxo de caixa.

Ao passo que, a cada pagamento de gastos com cartão de crédito, conta de água, luz, telefone, internet, serviço de streaming, entre outros, você terá uma despesa que configurará uma saída em seu fluxo de caixa.

No início de cada mês, procure prever o dia ou o intervalo em que suas receitas e suas despesas são esperadas para acontecer, desta forma você terá seu planejamento orçamentário pessoal estruturado.

Ao final de cada mês, confronte o seu planejamento orçamentário pessoal ao seu fluxo de caixa realizado, composto pelos registros de cada um de seus ganhos e gastos conforme as datas e valores exatos em que aconteceram.

Só assim você poderá monitorar seus movimentos financeiros e identificar oportunidades como cortes de despesas ou aumento de receitas. E ainda, perceber se existe a possibilidade de guardar os recursos que “sobraram” no final do mês para formar sua reserva de emergência.

Sem a intenção de depreciar ou invalidar o uso do caderninho como forma de anotar suas movimentações, mas há aplicativos hoje disponíveis gratuitamente como o GuiaBolso que prometem integrar seus cartões e suas contas correntes de forma que todas as suas movimentações possam ser acompanhadas através de uma só plataforma que disponibilizará várias dicas baseadas nestas informações, além de demonstrá-las graficamente para que você possa acompanhar o seu desenvolvimento financeiro mês a mês.

Para quem ainda se sente mais confortável com métodos mais antigos, existem planilhas prontas disponíveis de forma gratuita na internet para download que podem auxiliá-lo tanto a desenvolver seu planejamento orçamentário quanto seu fluxo de caixa pessoal.

Através dos dados listados no Excel também é possível facilmente formar gráficos que podem te ajudar a acompanhar sua evolução sobre o controle de suas finanças.

Como sair das dívidas?

É muito importante salientar que uma reserva de emergência não pode ser formada enquanto suas dívidas existirem, pois há a probabilidade dos juros passivos de suas dívidas serem demasiadamente superiores aos juros ativos prometidos pelo fundo de aplicação de sua reserva de emergência.

Por isso, procure formas de renegociar suas dívidas:

  •         Entre em contato com os seus credores e os assegurem de seu interesse em quitar os débitos que você contraiu;

 

  •         Renegocie com cada um deles a sua dívida de maneira que seja possível a você honrar com os pagamentos;

 

  •         Não é recomendado contrair novas dívidas por conta de dívidas anteriores, mas em caso de último recurso, procure o gerente de sua conta e busque por soluções para “centralizar seus débitos” de forma que possa unificá-los;

 

  •         Se necessário, busque auxílio para realizar suas renegociações acessando a plataforma do Serasa na guia Serasa Limpa Nome. Digite seu CPF e realize a consulta gratuitamente.

Como não contrair novas dívidas?

Quando se vive muito tempo em meio ao descontrole não se percebe que as armadilhas se encontram em todo lugar: em um novo plano de internet, em um novo plano pós-pago para o seu celular, na oferta de um cartão de crédito, quando há aumento de limite automático ou quando o banco habilita um saldo de cheque especial em sua conta corrente para uso em caso de “alguma emergência”.

Para que você se blinde das tentações, além de sempre se perguntar se realmente tem a necessidade de consumir além do que suas condições permitem, procure não se deixar levar por “vantagens” ou “promoções” mascaradas de benefícios.

Não há problema algum em deixar algo que seja importante para realizar mais tarde ou quando realmente for possível para você, desde que isso não configure algo essencial ou indispensável.

Para que você não contraia novas dívidas, observe a seguir algumas dicas valiosas:

  •         Esteja atento ao limite do seu cartão e não utilize mais do que o saldo disponível (nem o limite emergencial que possui taxa, e nem consuma o limite disponível que não possa honrar com o pagamento no mês seguinte);

 

  •         Não aceite ou solicite empréstimos de crédito sem necessidade;

 

  •         Procure sempre honrar com o pagamento total de suas contas. Elas são filiadas ao seu CPF, por isso, ao quitá-las totalmente e em dia você não fica passível ao pagamento de juros além de conquistar “fama” de bom pagador entre as instituições financeiras;

 

  •         Não utilize o cheque especial de sua conta corrente sem necessidade. Ele é destinado para compromissos ou imprevistos inadiáveis e deve se caracterizar como um empréstimo de curtíssimo prazo, já que seus juros são muito altos (e, por muitas vezes, você pode acompanha-los crescendo dia após dia);

 

  •         Não empreste dinheiro a quem não tem condições de te pagar. Isso pode te prejudicar no futuro pelo não recebimento de juros ativos e também pela possibilidade de você precisar deste recurso, mas não o ter.

Como limpar o seu nome e manter o cadastro positivo no Serasa?

Com sua vida financeira finalmente funcionando e respirando com certo fôlego, como deve ser, realize o cadastro gratuito na plataforma do Serasa.

Através dela você acompanha seu Score que sinaliza sua pontuação junto às instituições financeiras: essa informação pode de auxiliar quando, por exemplo, você precisar de um financiamento de imóvel ou automóvel.

A partir da plataforma também você pode ter acesso às funcionalidades como Monitoramento de CPF, para saber quem consultou seu CPF ultimamente, por exemplo, recurso de Antifraude que protege o seu CPF para que terceiros não o use indevidamente, além do recurso Serasa Limpa Nome.

Acessando este recurso, o Serasa pode listar seus credores e facilitar o seu contato com essas instituições para que você possa simular e realizar suas renegociações para quitar suas dívidas.

Além de todas essas possibilidades, através da plataforma do Serasa você pode habilitar o seu cadastro positivo. Desta maneira, você pode acompanhar as informações compartilhadas sobre você entre as instituições financeiras que você se relaciona assim como solicitar formas de crédito disponíveis para você de forma mais rápida e fácil. 

Gostou? Deixe seu comentério!

Aproveite e confira este artigo sobre como utilizar o cartão de crédito com mais segurança.

Rafa M.

Bacharel em Administração de Empresas e redatora.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.